Autismo: uma condição que Timbó abraça

13 Abril 2017 15:08:56

1º Seminário de Conscientização sobre o Autismo inicia dia 26 de abril

Aline Christina Brehmer
20161120_125359.jpg

“Saber que seu filho, irmão, parente ou amigo terá as mesmas oportunidades e vai viver em uma cidade onde as pessoas entendem o que é autismo e aceitam essa condição é o que me motiva, é o que realmente faz valer a pena”. É se baseando na luta pela igualdade, aceitação e inserção que Juliana Lanser Maier, 32 anos, está à frente do movimento que acontece pela primeira em Timbó durante o mês de abril, voltado à conscientização sobre o autismo – que é representado pela cor azul. Ela é mãe de Rafael Lanser Maier, quatro anos, que é autista e há cerca de dois anos começou a se comunicar de forma funcional – em inglês.

“Até os dois anos e oito meses de idade, meu filho não falava nada. Quando ele começou a emitir sons, achamos que eram resmungos mas ficamos felizes, pensamos ‘ele vai falar’. Então, após uma sessão na fonoaudióloga, foi confirmado que ele estava realmente se comunicando, mas em inglês. É uma habilidade dele”, explica Juliana. Ela diz que Rafael também fala italiano e esperanto, se comunica em libras e não é muito fã de alemão. Mas ele não se comunica de forma funcional em português.

Para a família foi uma novidade e, ao mesmo tempo, motivo de alegria – o primeiro passo havia sido dado. Agora, Juliana sabia que era hora de cumprir a promessa que havia feito desde o diagnóstico da doença. “Prometi que assim que meu filho começasse a falar, iria lutar para realizar ações de conscientização sobre o autismo em Timbó, já que até então não havia nenhuma. Passou algum tempo e o plano foi posto em prática. Agora, será realizado um seminário sobre o assunto, é uma grande conquista”, garante.

Preconceito e dificuldades

Após descobrir que Rafael era autista, Juliana começou a perceber como a realidade para essas pessoas é diferente – em especial, para os adultos. “Existe o preconceito, por isso é preciso desmitificar, explicar, conscientizar. Há pessoas que veem os autistas como gênios e outras que pensam se tratar de pessoas insensíveis, que não têm empatia e são frias. Mas, muito pelo contrário, eles têm sentimentos e emoções como qualquer um de nós – apenas enxergam o mundo de uma forma diferente”, ressalta.

No que diz respeito ao dia a dia de Rafael, ela comenta que ao mesmo tempo em que ele possui suas habilidades, o autismo também revela dificuldades. “Ele ainda usa fralda, tem dificuldade com texturas, é seletivo alimentar e, recentemente, começou a desenvolver resistência com os sons. Se o barulho é muito algo, ele tampa os ouvidos. Para falar com ele, é preciso ser de forma direta. Para os autistas em geral, a comunicação curta e direta é o melhor meio de gerar interação, independentemente da idade”, aconselha.

Ação em Timbó

Idealizadora da ação, Juliana diz que há pessoas em Timbó que atendem os autistas – mas não há profissionais especializados nessa área. “Quando descobri que o Rafa era autista, fui procurar informações fora, havia ações que eram realizas em Blumenau. Por isso prometi que iria lutar por essa causa e trazer essa discussão para Timbó”, relembra. Contando com o apoio de diversas entidades, Prefeitura Municipal, secretarias de Educação e Saúde e Câmara de Vereadores, ela iniciou esse projeto em fevereiro deste ano e, neste mês, o primeiro seminário será realizado.

Juliana diz que há cerca de 3 mil crianças cadastradas no ensino em Timbó e, destas, cerca de 1% são autistas. “Há ainda aquelas que não foram diagnosticadas – que com certeza são muitas. Mas essa porcentagem já representa a importância da ação que estamos realizando”. Uma das modificações solicitadas por ela à Câmara foi a alteração das placas de preferência em bancos e demais locais, acrescentando o símbolo dos autistas, além de pedir que o mês de abril fosse dedicado à causa e entrasse para o calendário anual de ações do município de Timbó.

“Quantos antes a doença for diagnosticada, melhor. O autismo não tem cura, e, quanto mais tarde a pessoa receber o diagnóstico da doença, pior vai ser”, ressalta. Uma das conquistas de Juliana e Rafael foi, quanto neste mês, viram a Prefeitura, Restaurante Thapyoka e outros pontos da cidade iluminados pela cor azul, representando os autistas e reforçando a todos o quão importante é conscientizar sobre essa condição.

Confira a seguir a programação:

26 de abril (quarta-feira)
14h às 17h: encontro com o autista Marcos Petry.
Foco do encontro: tirar dúvidas de pais e autistas sobre o dia a dia de uma pessoa que tem a síndrome. O valor cobrado é para auxiliar no custeio das despesas, visto que Petry vem de Vidal Ramos para Timbó palestrar.
Valor: R$ 10,00 por pessoa.

Seminário

26 de abril (quarta-feira)
18h45min: abertura do Seminário (estarão presentes o prefeito Jorge Krüger e secretário de Educação Alfroh Postai)
19h: apresentação musical de Marcos Petry, que também é autista
19h15min: palestra ‘Meu filho é autista, e agora?’, com Juliana Mayer
19h30min: palestra ‘Sintomas, diagnósticos e intervenções precoces’, com a neuropediatra, doutora Lucia Machado Haertel
20h30min: palestra ‘A importância da terapia ocupacional e integração sensorial no autismo’, com a terapeuta ocupacional e integração sensorial  Helenice Helena Vieira
21h: aberto ao público para perguntas
21h30min: encerramento musical com Marcos Petry

27 de abril (quinta-feira)
18h45min: abertura do seminário com o secretário de Educação Alfroh Postai e a secretária de saúde Deise Nichocletti Mendes
19h15min: palestra ‘O que aprendi com meu filho autista’, com Juliana Mayer
19h30min: palestra ‘A arte de ensinar com amor na educação inclusiva’, com a pedagoga e educadora especial Tatiana Cristine Schmidt;
20h: palestra ‘Desenvolvimento e fala dentro do TA’, com a fonoaudióloga Vanessa Melere
20h30min: palestra ‘Superação – gatilhos para assumir o controle da própria vida’, com Marcos Petry
21h30min: aberto ao público para perguntas
22h: encerramento musical com Marcos Petry


Seminario

EDIÇÃO IMPRESSA

logo site branca.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Café Impresso