O massacre de Las Vegas e a imprensa brasileira

Por Ozinil Martins de Souza 09/10/2017 - 15:48 hs
O massacre de Las Vegas e a imprensa brasileira
Reuters/Las Vegas Sun/Steve Marcus

Mais um massacre nos Estados Unidos e mais uma vez a imprensa brasileira lança sua luta a favor do desarmamento da população. O motivo sempre é a população armada dos EUA como causa dos freqüentes casos de massacres. Desta vez um cidadão americano, sem nenhuma ligação com religião ou qualquer outro ponto de conversão, mata (até o momento) 59 pessoas e fere mais de 500. Esquecem-se os ilustres críticos que no Brasil morrem por ano mais de 58 mil pessoas (previsão para 2017) em um país em que o cidadão não pode sequer comprar uma arma. Como explicar tal disparate? Como explicar que o cidadão de bem está desarmado, por força de lei e, os bandidos têm acesso a armas de guerra, que sequer são aqui fabricadas? Cinismo pouco é bobagem!


“Moro queria destruir a elite política brasileira e conseguiu.”


A frase acima foi dita pelo ex-deputado federal Eduardo Cunha a respeito da atuação do Juiz Sérgio Moro na condução da operação Lava-jato. Quando a li não quis acreditar. Será que um político experiente, calejado na vida pública, se proporia a escarnecer da opinião pública? Cheguei à conclusão que sim; ele aposta na ignorância do povo brasileiro, no desconhecimento (apesar de toda divulgação) e no não comprometimento do povo. As pessoas esclarecidas sentem-se, com certeza, vilipendiadas pela declaração do Sr. Eduardo Cunha, mas pensando bem, ele aposta no coração bonzinho do nosso povo. Não se surpreendam se dentro em breve, for libertado e, voltar à vida pública como político eleito. Lembrem de Fernando Collor de Mello!


No caminho com Maiakóvski


Só relembrando o que escreveu o poeta sobre a rendição inconsciente. Depois não adianta reclamar.

"[...]
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.
[...]"


Você sabe quem é Newton Cardoso Filho?


Deputado Federal por Minas Gerais é o relator da medida provisória que legisla sobre o Refis e que propôs as modificações no texto que beneficiam pessoas, comprovadamente corruptas, com benefícios de isenção de multas sobre o dinheiro público desviado de obras públicas. Ele, ao mesmo tempo em que legisla em causa própria, é beneficiário direto, pois suas empresas têm dívidas milionárias (R$ 56 milhões) com órgãos controladores do estado. Este cidadão, para quem não sabe, é filho do ex-governador de Minas Gerais Newton Cardoso, figura folclórica e muito conhecida por seus desvios de caráter (maneira sutil de escrever). Enquanto, eu, você, nós continuarmos votando em filhos, netos, enfim parentes de políticos, estaremos consolidando dinastias que só pensam em seus próprios interesses. Para pensar!


Curtas


Quando se tem culpa é difícil manter a postura. O Sen. Aécio Neves recorreu ao STF sobre a decisão de afastá-lo da política e mantê-lo em regime de reclusão em sua casa. O magistrado sorteado para o caso foi o Min. E. Fachin; incontinente, os advogados do senador pediram a substituição do mesmo. Quem não deve não teme!

O fato do Pres. Temer ser um jurista considerável, respeitado na área, com publicações renomadas, realizar um esforço descomunal e gastar dinheiro do povo, que deveria ser aplicado em atividades mais nobres, para tentar escapar de investigação, seria um indicativo de culpa?

O modelo político brasileiro esgotou-se. Partidos perderam totalmente a representatividade. Sem programas, corrompidos pelas alianças partidárias, corporativistas, nada representam ao povo que, teoricamente, deveria ser representado. Infelizmente!


Educação


“O que é necessário não é a vontade de acreditar, mas o desejo de descobrir, que é justamente o oposto.” Bertrand Russell