À Soldado Caroline Pletsch

Por Ozinil Martins de Souza 10/04/2018 - 14:50 hs
À Soldado Caroline Pletsch
Willian Ricardo/ClicRDC

A semana passada foi pródiga em demonstrações de carinho e respeito à Sd. Caroline. O motivo: seu prosaico assassinato quando desfrutava férias com seu marido no Rio Grande do Norte. Não há porque negar que a banalização da morte, no Brasil, atingiu níveis crônicos e intoleráveis. Mas, não podemos esquecer que a proposta de desmoralizar as forças constituídas por pessoas e instituições representativas da sociedade, quase ganhou este jogo. A reação chega, tardiamente, mas chega! A intolerância com qualquer tipo de crime, banal ou não, deve ser parte do estado de direito de um país que se diz democrático. Não é possível continuar convivendo com a impunidade e com a tolerância em que hoje vivemos. O Rio de Janeiro vive uma guerra que já matou, só este ano, 31 policiais. Não queremos que tal fato se repita em Santa Catarina e por isso, contamos com a integridade das forças policiais, sejam elas civis ou militares, para a preservação da ordem constituída e para segurança da população. Nós, homens e mulheres de bem, confiamos na ação policial em Santa Catarina! Que não tenhamos que chorar por mais Carolines!


O Nós x Eles ainda não acabou e...


O Nós X Eles foi uma proposição do governo Lula que conseguiu em pouco tempo dividir a sociedade brasileira em vários grupos e que tinha, como meta principal, fragilizar as instituições e a família. Não vamos nos enganar; a luta contra o sistema autoritário proposto, em várias oportunidades pelo governo do PT, não terminou e, a próxima eleição é chave para evitar a transformação do Brasil em uma nova Venezuela. O propósito da esquerda retrógrada do Brasil é, sim, conduzir o país à esquerda e com isto puxar toda a América latina. Portanto, a omissão, o voto nulo,  em branco ou de brincadeira em candidatos ridículos podem conduzir-nos a uma situação em que a desordem imperará e a miséria se fará presente com a força que nunca teve. Nivelar por baixo é o que vi em Cuba e, o que acontece na Venezuela nos tempos atuais; só estão livres deste nivelamento os dirigentes partidários ligados à cúpula e seus líderes. Voto consciente é fundamental!


Brasil e o modelo federativo


Em 2017 os três Estados do Sul arrecadaram para a união R$ 182.326.481.181, receberam em devolutiva para aplicar em investimentos ou custeio a importância de R$ 41.954.734.745, ou seja 23,01% de tudo que foi arrecadado. É justo que o modelo federativo atual redistribua, com os Estados mais pobres, parte do que foi arrecadado nas regiões mais ricas. Mas, não é justo com os Estados do Sul que se faça proselitismo político com o dinheiro que arrecadamos com o esforço de todo um povo e, que não possamos aplicá-lo para benefício dos nossos habitantes e, que sejamos obrigados a ver os nossos prefeitos irem a Brasília atrás de migalhas e favores de pessoas que se portam com a autoridade que não lhes foi delegada. Quando o Governador do Maranhão decide fixar o salário base dos professores em R$ 5.570, está fazendo-o com dinheiro para lá transferido e o mesmo não podemos fazer por falta de recursos financeiros que nos foi expropriado. Novo modelo federativo é imperativo!


Curtas


O Ministro Gilmar Mendes chega a ser uma figura histriônica, seja pela aparência, seja pelos arrazoados que faz. Em seu voto, no processo do habeas corpus do Lula, faz um ataque ao PT por ter iniciado a violência em que hoje o país se envolve. Reconhecimento tardio não vai ajudá-lo a cair nas graças do povo esclarecido.


Uma das ações que mais me incomoda na política é o “esquecimento” por parte de alguns partidos derrotados em eleições de seus compromissos com a população. Tentar prejudicar os atuais mandatários com ações mesquinhas e pequenas só prejudica a população e gera perda de tempo e tira o foco do que é importante. Pena!


É irritante o papel de algumas pessoas que se colocam como vítimas por não terem estudado ao não encontrarem empregos no momento atual. Se a Educação infantil, fundamental, média e superior pode ser feita de forma gratuita a razão de seu desemprego está em você e não, na sociedade.


Br 470 continua matando! E, aqueles, que há alguns anos, prometeram sua duplicação, posaram em outdoors como arautos da boa nova, lançam-se novamente como candidatos a cargos eletivos apostando na memória fraca do eleitor. Tudo com você eleitor!  


Educação


“A infância não é uma coisa que morre em nós e seca uma vez concluído seu ciclo. Não é uma lembrança. É o mais vivo dos tesouros e continua a nos enriquecer sem que o saibamos.” Franz Hellens