Os super-heróis de Sérgio

Na sua festa de cinco anos, que teve como tema a Polícia Militar, o pequeno Sérgio Ribas Júnior recebeu uma visita inesperada

Por Aline Christina Brehmer 24/05/2019 - 09:31 hs
Foto: Divulgação/Redes sociais

A comemoração de cinco anos do pequeno Sérgio Ribas Júnior foi para ficar na memória. Fã da Polícia Militar (PM), o pequeno timboense escolheu esse como tema de sua festa, que aconteceu nesse fim de semana, no dia 19.

O Cabo da PM de Timbó, Adriano José Butzke Quintana, diz que a mãe do garoto, Isolete Saturno Silva Ribas, procurou pela guarnição e pediu para ajudá-la a fazer uma surpresa para seu filho.

O soldado Cristiano Antônio Scatolin também marcou presença no dia especial de Sérgio. Ao ver que os policiais realmente estavam ali, o aniversariante ficou sem reação.

“Qual declaração pode dizer mais do que um sorriso? Ou aquele forte abraço, que parece não querer te soltar mais? Ou aqueles olhinhos pequenos brilhando fixamente e admirando todos seus equipamentos? Para nós, foi uma honra participar desse momento”, declara Cabo Quintana.

Sonho de ser PM

Isolete conta que desde o ano passado seu filho já falava que queria ter como tema da festa de cinco anos a Polícia Militar. “Minhas filhas fizeram o bolo, consegui a roupa para ele e nos empenhamos para fazer isso por ele. Quando ele viu que os policiais chegaram foi correndo encontra-los, até ficou emocionado. Apesar de pequeno, dá para ver que existe no Sérgio um grande desejo de ser policial militar e nós, enquanto família, faremos de tudo para ajuda-lo a alcançar esse sonho”, confidencia.

Essa foi mais uma das felizes situações com as quais a PM se depara com frequência. Momentos parecidos já ocorreram – principalmente quando os policiais são abordados no dia-a-dia.

“Em meio ao tumulto e estresse diário, sempre haverá tempo para olhar no olho de quem nos chama e receber aquele abraço que é único. Isso nos renova para o restante da semana e mostra que sim, vale a pena todo o esforço e sacrifício inerentes de nossa profissão, seja pelas noites em claro ou, muitas vezes, ausência no âmbito familiar”, diz Cabo Quintana.

Super-heróis de farda

Questionado sobre a reação de se ver como um “super-herói” em situações assim, ele diz que esses “personagens” criados na imaginação das crianças são norteados, acima de tudo, por valores éticos e senso de justiça.

“Elas veem isso e sentem vontade de agir assim também. Quando voltam seus olhares para a sociedade, encontram nos policiais aquilo que deveria ser o mais próximo dos seus super-heróis, mas sem as “fantasias maneiras” ou os “superpoderes””, compara.

E para ele é através disso que as crianças percebem que também podem fazer a diferença, sendo bons cidadãos e com princípios éticos, justos e morais. “Nós todos da guarnição ficamos gratos e lisonjeados pela confiança e reconhecimento dos pais em permitir que façamos parte de momentos como esse. É um chamado ao qual sempre encontraremos tempo para atender já que, ao nosso ver, é tão importante quanto um acionamento de urgência e emergência”, garante.

Isolete, em nome de Sérgio e da família, deixa seu agradecimento aos policiais.

“Para nós, como pais, significou muito. É um incentivo, uma forma pela qual meu filho viu que a polícia veio para proteger e ajudar as pessoas. Ficamos emocionados por eles terem vindo, pelo papel que desempenharam nesse dia especial. Algo que ficará marcado pelo restante da vida no coração do meu filho, sem dúvida. Vemos que a polícia está à disposição das pessoas de bem, que luta por uma sociedade segura e longe de tudo o que for ruim, exercendo um trabalho excelente. Somos muito gratos por isso”, agradece Isolete em nome da família.