Ideologia de Gênero

Por Ozinil Martins de Souza 26/09/2017 - 10:08 hs

Não gostaria de entrar neste debate, mas há tanta besteira no ar e tanta ideologia como pano de fundo que não é possível calar-se. Uma das pregações de partidos de esquerda é a desconstrução da família como base da sociedade; entendem eles que se desconstruírem a família terão um caminho mais fácil para obter e perpetuar-se no poder. Em Cuba, onde vivi um tempo, é clara a destruição dos costumes familiares e o constrangimento às pessoas que praticavam alguma religião. Tudo tem motivo e conseqüência. Tenho ouvido e lido declarações de associações médicas, inclusive durante a discussão da BNCC no congresso, que as pessoas nascem do sexo masculino e feminino; que as exceções são exceções. Portanto, esta discussão interessa a quem? O que se quer provar contra as definições científicas? O que me parece claro é que, aos poucos, as minorias impõem, gradativamente, as exceções como regra. A Dra Carla Morgan em recente audiência no congresso afirma: “Não façam da nossa Educação o experimento que falta à ideologia de gênero. Nossas crianças não são cobaias!” O mundo está ficando chato para se viver!

Dívida da Previdência

O déficit da previdência em 2016 foi de R$150 bilhões. Segundo dados da própria previdência as dívidas de contribuintes somam a quantia de R$450 bilhões. Logo a previdência tem um significativo saldo a receber. Quem são os maiores devedores da previdência? A maior devedora é a Varig, empresa falida há muito tempo e que, obviamente, não terá como pagar o valor devido. Mas, há casos interessantes como a empresa dos irmãos Wesley – a J&S – que deve R$2 bilhões. Quer dizer uma empresa que foi financiada pelo BNDES com bilhões de reais é hoje a maior devedora entre as grandes empresas. O que justifica a atuação do governo federal em omitir-se na cobrança da dívida e, pior, financiar uma empresa inadimplente com seu sistema previdenciário? Entre as instituições públicas a maior devedora é a Prefeitura de Guarulhos em São Paulo e entre as empresas de economia mista a, pasmem, Caixa Econômica Federal. O Brasil é um país, decididamente, em que a ação entre amigos funciona. O povo? Apenas um detalhe!

Sistema federativo do Brasil

A grande maioria da população brasileira não sabe que, de todos os impostos pagos, permanecem nos municípios, apenas, o IPTU e ISS. Os demais impostos são recolhidos aos cofres federais que, posteriormente, os redistribui entre estados e municípios. Cabem aos estados percentuais irrisórios perante os encargos atribuídos a eles. O Governo Federal, para sustentar sua paquidérmica máquina, retém a parte do leão no festim por ele organizado. E a prestação de serviços? Ah, esta cabe aos estados e municípios que têm que se virar nos 30 ou buscar Brasília com um pires na mão para tentar obter aquilo que lhe é de direito. A República Federativa do Brasil, como está constituída, é inviável e só interessa ao poder central como forma de manter a subjugação de estados e municípios. Há que se mudar este quadro ou não haverá futuro sustentado!

Capitalismo? Sim, capitalismo!

As diferenças são a prova, inconteste, de nossos desvios em todos os sentidos. Nos Estados Unidos, quando da passagem do furação Irma os bancos emitiram o seguinte comunicado: “ Se você está em uma área afetada pelo furacão Irma, vamos automaticamente aumentar sua linha de crédito para emergências, não cobrar juros nos próximos meses, devolver juros cobrados neste mês, oferecer um programa de meses sem pagamento para o financiamento de sua casa, não cobrar o pagamento mínimo do cartão nos próximos meses e não cobrar juros por empréstimo pessoal.” André Baader postou no FB. Nosso comentário: Não há interesse em colocar o cliente de joelhos, ao contrário de um certo país ao sul do Equador.

Curtas

Nada como um dia após o outro. Quando do jogo Corinthians x São Paulo o atleta Jô foi beneficiado pela sinceridade do jogador Rodrigo Caio do São Paulo. Jô havia recebido um cartão amarelo e ficaria suspenso do segundo jogo. Caio assumiu sua parte no lance e o cartão foi cancelado. Jô jogou o segundo jogo e foi decisivo. Ontem, Jô fez um gol com o braço e, ao ser questionado pelos repórteres, só fez arrumar desculpas para seu posicionamento equivocado. Assumir? Nem pensar! Brasil sendo Brasil na essência.

Na segunda feira fui a Brusque participar de palestra com o Senador Professor Cristovam Buarque. O tema, é óbvio, foi a Educação. Como é bom ver alguém lúcido e com conhecimento de causa fazer uma exposição que mostra nossas deficiências, mas propõe caminhos. Enquanto futuro o Brasil só tem uma alternativa: investir em Educação de qualidade. Os outros nos levarão ao fracasso!

O Senador Cristovam é autor de projeto de lei em que propõe a federalização do ensino em todos seus níveis. Entende ele que há prefeitos que investem em Educação e outros não; federalizando este problema deixaria de existir. Posiciono-me contra, pois entendo que assim aumentamos a concentração dos poderes em Brasília. O importante é fortalecer os municípios, logo descentralizar é fundamental.